Últimas
Colunas

Pensando alto sobre a primeira sessão ordinária do ano



O tempo já não é como antes. Por isso, o Vereador já não se enquadra no novo ritmo estabelecido.

Por falar em tempo: Será que o tempo esta chegando ao fim? Por isso, o Vereador não sabe o que faz? Soube que estava “chateado?”, mas, parece que basta fazer um carinho que as “coisas” melhoram. (rsrs)

Falar em carinho é ótimo. Mas, parece que nem tudo são flores e poesia. O Vereador parece começar a entender o recado. Curioso para conhecer a próxima página.

Tudo merece um novo episódio. Mas, para querer ser novo é preciso ter ousadia. Ousadia só com independência. Em outras palavras: autonomia, emancipação, liberdade e soberania. O Vereador tem condições de ser assim?

O caráter deve ser valorizado. A visão de povo também. O Vereador sempre com sua alma.

Nem tudo vem de mão beijada. Aliais, tem quem nem beije mais sua mão. O Vereador precisa ter pulso e mostra que sabe o seu lugar.

Imprecisão. Não sabemos o que Vereador quer, ou o que pretende. Algumas línguas falam que ele será… (rsrs) Vamos esperar, pode se tratar de um singelo fogo de palha.

Dizem que querer é poder. O Vereador precisa mostra que realmente quer. Caso contrário, vai ficar só querendo.

Tem Vereador, que, ainda, não tem nada. Esperem. Hora da salva de palmas.  

O Prefeito? O Prefeito?  É… Oposição e Situação. Situação? Oposição? Eu pensei Situação. Não oposição. Como assim oposição? – Parece que sim. Sério? Sei lá! Situação ou Oposição. Desculpem: Situação e Oposição. Viva a harmonia.


Anderson Eliziário